27 de mai de 2009

Diguinho: novo personagem do Super Punch Out



JC explicou!

Há algumas semanas, perguntei para os leitores deste humilde blog quem explicava o sucesso do Twitter. Eis que João Cláudio Cotta Cardoso, da longinqua Bretanha, se propôs a dar uma luz em tão intrincado dilema.

Como essa porcaria de Blogspot não deixou que ele postasse sua versão para o fenômeno, vale um novo post somente para isso. Segue abaixo:

"Meu caro Thiago Reimao,

Se voce quer ver o funcamento cientifico por tras disso, de uma olhada no link abaixo (o modelo de difusao de Bass): http://en.wikipedia.org/wiki/Bass_diffusion_model

Este modelo descreve muito bem o ciclo de adocao de uma nova tecnologia. O numero de usuarios cresce numa curva em forma de "S": no comeco pouca gente conhece a tecnologia em questao, o que, junto com o custo proibitivo, justifica que so alguns aventureiros cheguem a aderir (dai o termo "early adopters", ou pioneiros numa traducao livre). Eh a primeira parte, mais plana, do "S".

Depois disso, a tecnologia tem dois caminhos: ou morre (e os pioneiros acabam por abandona-la) ou explode, com o povao todo se convertendo em massa aa nova tecnologia: a propaganda boca-a-boca, a amortizacao dos custos de pesquisa e a producao em massa facilitando o processo. Esses individuos sao os "seguidores", repondem por uns 90% dos usuarios da tecnologia quando ela atinge a maturidade, e desenham a parte intermediaria, mais ingreme, do "S".

Finalmente, o ritmo de adocao da tecnologia desacelera, pelo simples fato de nao haverem muito mais pessoas que ainda nao a usam. Os "atrasados" sao aqueles que resistem aa evolucao tecnologica, ou novas pessoas que entram no "mercado" depois da tecnologia ja estabelecida. Essa fase eh a derradeira, plana e superior parte do "S".

O Twitter, com uma nova proposta de rede social, se qualifica como inovacao tecnologica e portanto vale a teoria de Bass. Ou seja, quem usa Twitter desde antes de fevereiro pode ser descrito como pioneiro, inovador, visionario, empreendedor, destemido, ou (mais provavelmente) nerd. Os que abriram seus Twitters depois de Fevereiro sao meros seguidores (ou "paga pau", no coloquio em voga na capital Paulista hoje em dia).

A teoria de Bass pode ser o ponto de partida de varias discussoes filosoficas sobre o comportamento humano, a dinamica do progresso, estrategias de negocio, e tipos de personalidade. Basta algumas cervejinhas e a conversa vai que vai. Pode ser um dos nossos topicos para a semana que vem!!

Abracos, JC"


Obrigado pela luz, professor!

5 de mai de 2009

Virada Cultural

Surpreendeu positivamente a Virada Cultural. Eu, que nunca havia ido a algum edição do evento, achei o máximo ficar circulando pelo centrão a noite sossegado, vendo um monte de gente indo atrás de risada, diversão e lazer. Gente de todas as idades e tribos convivendo em harmonia. Logo ao adentrar a Estação Brigadeiro do metrô, por volta de 21:30, vc via as pessoas de bom humor, com uma sensação gostosa estampada no rosto.

É claro que nem tudo são flores: não sei as informações que constam 4 milhões de pessoas presente no evento estão corretas. O fato é que foi impossível ficar perto de algunas palcos, como o do Clube do Balanço. Para ver o Camelo, até que não achei tão difícil: ficando um pouco longe dava para ver e escutar bem. o fato é que é muita gente, muitas atrações, os números são gigantescos. Mas vale frisar que o saldo é sim positivo.

No metrô, indo até a Estação da Luz, pensava comigo mesmo: "poxa, isso é um evento digno de uma metrópole". E é esse mesmo o fator mais tesão da Virada: um caldeirão de pessoas, tribos, culturas, gostos, todos curtindo juntos e em harmonia.

O fato é que a Virada Cultural é um evento à altura da magnitude e grandeza da cidade de São Paulo.

Que venham as próximas!
:-D

Ps.: abaixo, para quem não pode estar presente, um videozinho do show do Camelo:

4 de mai de 2009

Velhinha italiana dando um tapa!

Vá embora, Domingos!


Não dá mais para aceitar um atleta (?), um profissional (??) como Domingos no elenco do Santos. É uma vergonha ter um jogador (???) tão acéfalo, tão sem qualidade técnica, tão sem nada na equipe.

"Ah, mas ele é o um Zagueiro-zagueiro", alguns dirão. Ledo engano. Zagueiro-Zagueiro é um cara como o Fábio Luciano, como Willian, como o Chicão. Se um zagueiro precisa de um pouco de virilidade, para impor respeito, precisa ainda mais de senso de colocação, qualidade no passe, bom cabeceio. A única "qualidade" do Domingos é ser um cara violento, que tenta se sobressair botando medo nos adversários.

Quem me conhece sabe que não falo isso de hoje. Não falo pelo rolo com o Diego Souza. Não falo pela entrada criminosa no Dentinho ontem. Falo pq o Domingos é a antítese do futebol bem jogado, aquele que a gente gosta.

Na boa, esse tipo de postura não faz o menor sentido. Já passou da hora do Sr. Domingos ser definitvamente EXPULSO da Vila Belmiro para nunca mais voltar.